A Celebração da Festa das Cabanas ou Tabernáculos

A Celebração da Festa das Cabanas ou Tabernáculos
Texto: Neemias 8:13-18

Introdução: Neemias capítulo oito começa a segunda metade do livro de Neemias. Os primeiros sete capítulos focalizam a reconstrução do muro e os últimos seis capítulos focalizam a renovação espiritual do povo. Ao chegar ao capítulo oito, os muros da cidade já foram concluídos e a obra que Deus deu a Neemias foi feita. Neemias também se esforçou muito para garantir que os remanescentes que viviam em Jerusalém fossem verdadeiros judeus. O registro de sua genealogia está registrado em Neemias capítulo sete. Neemias agora volta sua atenção para o aspecto espiritual de edificar o povo de Deus. Reconstruir o muro era um trabalho fácil em comparação com o que Esdras e Neemias deveriam agora fazer. Levou apenas alguns meses para construir algo físico para o povo de Deus, mas quando você começa a lidar com o edifício espiritual e se tornar o que Deus quer que você seja, leva muito tempo.

Quando você está focado em reconstruir paredes você começa com a remoção do lixo, trabalho de fundação e, em seguida, tijolo e argamassa. Quando você está focado em reconstruir vidas você começa com a Palavra de Deus. E é exatamente isso que Esdras e Neemias fizeram. "Então todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça diante da porta das águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha ordenado a Israel.... E Esdras abriu o livro à vista de todo o povo (pois estava acima de todo o povo); e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé.... Assim leram no livro, na lei de Deus, distintamente; e deram o sentido, de modo que se entendesse a leitura" (Neemias 8:1, 5, 8).

Esdras e Neemias trabalharam juntos. Seus ministérios eram diferentes em muitos aspectos, mas eles compartilhavam o mesmo coração e responsabilidade para com o povo de Deus. Ambos estavam em Jerusalém para chamar o povo de volta a um relacionamento correto com o Senhor. E a única maneira de chegar lá era ouvir e obedecer à Palavra de Deus.

Quando Esdras chegou em Jerusalém, a condição espiritual do povo era triste (Esdras 9:1-4; 10:2, 10). Quando Esdras lhes ensinou fielmente a Palavra de Deus, o povo começou a obedecer às leis de Deus. Alguns anos mais tarde, Neemias chegou a Jerusalém e também desafiou o povo a confiar em Deus para ajudá-los a reconstruir os muros. Depois que os muros foram edificados, o povo queria ouvir mais da Palavra de Deus. Eles pediram que Esdras "trouxesse o livro da lei de Moisés" e o ensinasse (Neemias 8:1). Nesta ocasião particular, os "homens e das mulheres, e dos que podiam entender" (Neemias 8:3) ouviam atentamente toda a manhã enquanto Esdras lia a Lei, enquanto 13 homens, provavelmente sacerdotes ajudavam a esclarecer ao povo o que estava sendo ensinado.

A resposta do povo à exposição da Palavra de Deus foi de adoração, louvor e obediência a Deus. Além disso, em resposta à Palavra de Deus, eles queriam celebrar adequadamente a Festa dos Tabernáculos ou a Festa das Cabanas. Esta festa era uma parte importante da vida e da história judaicas e é óbvio que durante muito tempo esta festa não havia sido observada. Foi enquanto a Palavra de Deus estava sendo ensinada que a conscientização veio dessa necessidade de celebrar a Festa das cabanas. O salmista disse: "A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos simples" (Salmo 119:130).

1. A Festa das Cabanas e as Instruções (Esdras 8:13-14)

Verso 13 "Ora, no dia seguinte ajuntaram-se os cabeças das casas paternas de todo o povo, os sacerdotes e os levitas, na presença de Esdras, o escriba, para examinarem as palavras da lei".

O povo se reuniu no "primeiro dia do sétimo mês" (Esdras 8:2) para ouvir Esdras ler a palavra de Deus. Eles literalmente "se puseram de pé" (Esdras 8:5) por seis horas, "desde a alva até o meio-dia" (Esdras 8:3) e ouviram atentamente a Palavra de Deus exposta. Esdras não apenas leu a lei para o povo, ele leu "distintamente, e deu o sentido" (Esdras 8:8). Isso significa que ele expôs e explicou o texto. Então, "no segundo dia" eles "se ajuntaram" novamente para "examinarem as palavras da lei". E eles fizeram isso todos os dias durante sete dias. Você pode imaginar os crentes hoje de pé para ouvir a Palavra de Deus exposta por seis horas e depois voltar no dia seguinte para mais?

Os que se reuniram no segundo dia foram "os cabeças das casas paternas de todo o povo, os sacerdotes e os levitas". Os "cabeças das casas paternas" eram chefes das casas. Os "sacerdotes e levitas" eram uma companhia representativa de líderes espirituais. Seu propósito era estudar a lei de Deus com o desejo de melhor entendê-la. "Esdras" era seu mestre capaz e qualificado. O que está acontecendo aqui no texto é um estudo sistemático regular planejado da Palavra de Deus com um professor capaz na direção. E o resultado é "compreensão". A palavra "compreensão" significa "olhar, considerar, ter percepção e compreender".

O texto indica claramente que Esdras está colocando a responsabilidade de "examinarem as palavras da lei" neste grupo de pessoas. Não há desculpa para que o povo de Deus não saiba o que Deus exige deles. Se você é um crente em Jesus Cristo, você é responsável por ler sua Bíblia e buscar a ajuda do Espírito Santo para compreender e compreender a verdade. Se você tem acesso a ensinamentos e pregações bíblicas sólidas, você deve colocar a si mesmo e aqueles a quem você é responsável sob esse ensino e pregação (Hebreus 13:7, 17, 24).

Nota: As pessoas aqui nos lembram dos Bereanos nos dias do apóstolo Paulo. A Bíblia diz: "Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda avidez, examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim" (Atos 17:11). Os Bereanos queriam saber o que a Bíblia dizia, então literalmente "esquadrinhavam as páginas".

Versículo 14 "e acharam escrito na lei que o Senhor, por intermédio de Moisés, ordenara que os filhos de Israel habitassem em cabanas durante a festa do sétimo mês”

Uma das verdades que o povo "achou escrito na lei" quando Esdras leu era "a lei que o SENHOR tinha ordenado por intermédio de Moisés" sobre as festas das cabanas. De acordo com Esdras 3:4, a festa das cabanas (também conhecido como a Festa dos Tabernáculos) foi comemorado pelo primeiro grupo de exilados que retornaram de Jerusalém para Babilônia. No entanto, parece que nos anos seguintes ao regresso dos primeiros grupos, a celebração desta festa tinha parado. Quando as pessoas ouviram a Palavra de Deus lida e explicada perceberam a necessidade de restabelecer esta celebração significativa.

"habitassem em cabanas durante a festa do sétimo mês" é uma referência para a festa das cabanas também chamado de Festa dos Tabernáculos. A Festa dos Tabernáculos era uma das três festas de peregrinação (Deuteronômio 16:16), os israelitas também a observavam e é a última nesta série de festas ordenados por Deus (Levítico 23:33-43). Esta festa está conectada com uma parte vital da história de salvação de Israel, ou seja, as provisões de Deus para a nação durante sua jornada no deserto. Era o momento de celebrar o passado olhando para o que Deus havia feito por eles salvando-os e protegendo-os. As pessoas estavam celebrando em obediência à Palavra de Deus. A festa dos tabernáculos era um tempo para celebrar o passado, eles olhavam para o passado, para o que Deus havia feito através deles e com eles, através das andanças pelo deserto, como Deus os colocara em tendas e como Deus os havia guiado até o fim. E o que nos diz hoje é que, quando chegarmos à casa de Deus, devemos celebrar o passado, devemos regozijar-nos no que Deus fez por nós no passado (Salmo 68:19; 103:2; 116:12).

A Escritura ordenava que a festa das cabanas começasse no dia 15 do "sétimo mês". Seriam nossos meses de setembro a outubro. A festa duraria sete dias. O oitavo dia seria uma assembleia solene (discutida no versículo 18).

2. A Festa das Cabanas e a Proclamação (Esdras 8:15)

Versículo 15 "e que publicassem e fizessem passar pregão por todas as suas cidades, e em ramos de oliveiras, de zambujeiros e de murtas, folhas de palmeiras, e ramos de outras árvores frondosas, para fazerdes cabanas, como está escrito"

Quando as pessoas percebem que desobedeceram à Palavra de Deus ao não celebraram esta festa, "publicaram e fizeram passar pregão por todas as suas cidades",o que significa que a tinham colocado em todas as cidades de Jerusalém. Era o desejo do povo que todo Judá fosse envolvido nesta celebração. A adoração não se trata de alguns poucos selecionados. Trata-se de toda a família de Deus se unindo para celebrar a salvação e a provisão de Deus.

"Como está escrito" significa que tudo foi realizado de acordo com a Palavra de Deus. As exigências desta festa não foram deixadas à discrição do povo. Eles deveriam seguir a Palavra de Deus. Um dos requisitos em torno desta festa era a construção de um abrigo temporário ou "cabana". Na preparação das "cabanas", o povo "iria para o monte", ou para as colinas e "trouxesse ramos de oliveiras, de zambujeiros e de murtas, folhas de palmeiras, e ramos de outras árvores frondosas". Levítico 23:40 também menciona o uso de "salgueiros de ribeiras". Todos esses "ramos" dos diferentes tipos de árvores seriam ramos frondosos e árvores robustas que seriam usadas para fazer as "cabanas".

O abrigo deveria ter no mínimo quatro pés de comprimento, quatro de largura, não ter mais de 30 pés de altura e ter pelo menos três lados. Seu telhado seria coberto com bastante folhas e palha para fornecer sombra sem obstruir a vista das estrelas na noite. A "cabana" poderia ser decorada tão atraente quanto possível. Para cumprir a exigência bíblica de "morar em cabanas", o povo deveria passar mais tempo em suas "cabanas" durante a semana da festa do que em suas casas. Parece que as pessoas estavam preparando-se para ter uma "reunião de acampamento celestial!"

Os crentes hoje não são obrigados a literalmente construir "cabanas" e acampar durante uma semana, mas somos obrigados a nos preparar para a adoração. O povo de Judá teve tempo para ouvir a palavra de Deus, tempo para meditar sobre a sua verdade, tempo para convidar todos a se prepararem para observar a festa, tempo para preparar as "cabanas" e, em seguida, passar o tempo real que Deus exigiu. Compare isso com o tempo médio que um crente hoje prepara e gasta com Deus na adoração. É constrangedor!

3. A Festa das Cabanas e a Celebração (Esdras 8:16-18)

Versículo 16 “Saiu, pois, o povo e trouxe os ramos; e todos fizeram para si cabanas, cada um no eirado da sua casa, nos seus pátios, nos átrios da casa de Deus, na praça da porta das águas, e na praça da porta de Efraim"

"Saiu, pois o povo" fala da obediência rápida e precisa do povo à palavra de Deus. A obediência deles é impressionante. Cinco locais gerais são listados para colocação das cabanas, no eirado da casa, nos seus pátios, nos átrios da casa de Deus, na praça da porta das águas, e na praça da porta de Efraim. Aqueles que viviam em Jerusalém naturalmente tinham duas opções a este respeito que os visitantes em Jerusalém não tinham: os eirados das casas e os pátios das casas onde os animais eram mantidos. Aqueles que viam de fora de Jerusalém podiam encontrar parentes que podiam compartilhar esses dois locais, mas os visitantes provavelmente iriam ao pátio na casa de Deus, na praça da porta das águas, e na praça da porta de Efraim. A "porta de Efraim" está localizada a cerca de um terço de uma milha ao noroeste da "porta das águas", perto do monte do templo (2 Reis 14:13, 2 Crônicas 25:23).

Versículo 17 "E toda a comunidade dos que tinham voltado do cativeiro fez cabanas, e habitaram nelas; pois não tinham feito assim os filhos de Israel desde os dias de Josué, filho de Num, até aquele dia. E houve mui grande regozijo"

"E toda a comunidade dos que tinham voltado do cativeiro fez cabanas", indica que todos participaram da celebração. Tanto os jovens como os velhos ouviram Esdras expor a lei, então é apropriado que "todos" participassem. O mesmo vale hoje. Aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a recebem podem participar e celebrar. Eles "habitaram nelas" são palavras marcantes. Tente imaginar a cena em sua mente como muitos desses exilados retornados habitando com suas famílias e vizinhos pela primeira vez e comemorando a libertação de Deus e provisão para a sua nação. Essa cena deve motivar cada um de nós a orar por um avivamento e um retorno à adoração bíblica para que possamos estar com nossas famílias e amigos em uma atitude de adoração e gratidão.

"pois não tinham feito assim os filhos de Israel desde os dias de Josué, filho de Num, até aquele dia", não significa que a Festa dos Tabernáculos não tenha sido observada durante esse período de tempo. Em Neemias e na mente de Esdras, o significado das Festas dos Tabernáculos estava agora sendo experimentada da maneira que Deus desejou pela primeira vez desde os dias de Josué. "E houve mui grande regozijo" apoia essa interpretação. Neemias está dizendo que nenhuma celebração tão alegre desta festa havia ocorrido desde o tempo em que o povo de Deus estava realmente saindo da jornada do deserto quando as provisões de Deus estavam frescas em sua mente.

Pergunta: O que tornou esta celebração das Festas dos Tabernáculos tão alegre? O que torna a adoração especial e alegre para você? Poderia ser o fato de que a Palavra de Deus é a base para o que está sendo feito? Poderia ser o fato de que a liderança não está chamando a atenção para si, mas sim para a Palavra de Deus? Será que as pessoas têm um coração obediente e receptivo?

Versículo 18 "E Esdras leu no livro da lei de Deus todos os dias, desde o primeiro até o último; e celebraram a festa por sete dias, e no oitavo dia houve uma assembleia solene, segundo a ordenança"

"E Esdras leu no livro da lei de Deus todos os dias, desde o primeiro até o último",refere-se à contínua e sistemática leitura da Palavra de Deus. A implicação aqui é que este era um ano sabático que significa que este tipo de leitura era ordenado (Deuteronômio 31:10-13). A leitura sistemática da Palavra de Deus era vital para a vida de adoração do israelita. Também é vital para a vida de adoração do crente do Novo Testamento.

"e celebraram a festa por sete dias", enfatiza a total obediência à Palavra de Deus (Levítico 23:34, Números 29:12-34, Deuteronômio 16:13). "e no oitavo dia houve uma assembleia solene, segundo a ordenança", segue o mandamento de Deus em Levítico 23:36 que diz: "Por sete dias oferecereis ofertas queimadas ao Senhor; ao oitavo dia tereis santa convocação, e oferecereis oferta queimada ao Senhor; será uma assembleia solene; nenhum trabalho servil fareis”

Celebrar ou manter uma "assembleia solene" no último dia era prova de que toda a celebração da festa tinha sido realizada de acordo com a Palavra de Deus. Em cada um dos sete dias da Festa dos Tabernáculos, uma oferta feita pelo fogo ao Senhor seria oferecida. Os sacrifícios a serem oferecidos no "oitavo dia", ou a "assembleia solene", estão listados em Números 29:12-38. Havia de ser sacrificado dois carneiros e catorze cordeiros, e novilhos diminuindo de um dia de treze no primeiro dia para sete no último. Estes formavam os sacrifícios queimados. A oferta pelo pecado, em cada dia, era um cabrito. No oitavo dia, o holocausto consistia de um novilho, um carneiro, sete cordeiros e a oferta pelo pecado, como antes, um cabrito. Assim, eram oferecidos em todos, nos oito dias, setenta e um novilhos, quinze carneiros, cento e cinco cordeiros e oito cabritos, além de carne e libações. O último dia da festa ou o "oitavo dia", é uma "assembleia solene". Uma "assembleia solene" significa que nenhum trabalho poderia ser feito. Era uma ocasião sóbria e sombria que era projetada para capturar os sentimentos de significado e alegria durante os dias de festa que tinha acabado de ser comemorado. Havia também uma nota de tristeza misturada com a "assembleia solene" porque representava o último dia da festa.

Nossos cultos de adoração e reuniões de hoje são muitas vezes tão rápidos que quase se tornou uma unidade através da experiência religiosa. Quando foi a última vez que você sentiu uma nota de tristeza porque o Dia do Senhor ou um determinado tempo de adoração tinha chegado ao fim? Nos velhos tempos e anos passados a congregação iria cantar a antiga canção, "Deus seja com você até que nos encontremos novamente" no final do culto. Sentiam uma sensação de tristeza diante do pensamento de afastar-se da adoração e da comunhão que tinham em Cristo. Que o Senhor reavive esses sentimentos e pensamentos em nossos corações!

Conclusão: Esdras e Neemias receberam uma maravilhosa oportunidade não só de reconstruir os muros, mas reconstruir vidas também. Nós, que ensinamos e pregamos, devemos aprender com seu exemplo e levar este exemplo a sério. Ajudar as pessoas a "entender" a Palavra de Deus é um chamado alto e santo. Esdras, Neemias e os outros líderes não se contentaram simplesmente em ler a Lei para o povo. Eles queriam que eles soubessem o que significava e que fossem capazes de aplicá-la às suas vidas.

Como resultado dos esforços de Esdras, Neemias e dos outros líderes, o povo de Deus restaurou a celebração das Festas das Cabanas ou Tabernáculos e foram capazes de celebrar o evento especial da maneira que Deus queria que fosse celebrado. A Palavra de Deus ainda cria mudança na vida de todos os que a ouvem e a escutam. Que voltemos à leitura e a compreensão da Palavra de Deus para que possamos celebrar nossa salvação e viver em alegria.

Amém

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.