Liberdade Versus Licença
“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” Filipenses 4:8

Os pais ensinam as crianças sobre limites: limites morais, éticos, legais, de cortesia e de segurança. Os limites são estabelecidos por causa da propensão do homem para o pecado: "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o poderá conhecer? ” (Jeremias 17:9).

Felizmente, os limites que circundam o que é verdadeiro, nobre, justo, puro, adorável, de bom testemunho, virtuoso e louvável são enormes - aparentemente ilimitados.

Podemos passar uma vida buscando coisas que são agradáveis ​​a Deus sem ficar sem opções. O perigo é o coração: O coração quer transformar a liberdade em licença. O coração diz: "Eu sou livre para fazer o que eu quero!" Mas Deus diz: "Você é livre para fazer o que eu quero". E uma vez que percebemos quão grande é a liberdade, é difícil querer algo mais.

Não confunda a liberdade em Cristo com licença para carnalidade. Muitas coisas são possíveis na vida que é edificante ou sábia (1 Coríntios 10:23).

Liberdade não é o direito de fazer o que quiser; é a liberdade de fazer o que deve ser feito.