Atraindo multidões ou fazendo discípulos?
Observar a vida de Jesus nos evangelhos é muitas vezes uma constatação da realidade abrupta e dolorosa, especialmente em nossa mídia social saturada de cultura de ministério “fazer tudo pela fama”. Não consigo imaginar Jesus obcecado com quantas pessoas "gostaram" de sua última publicação ou com quantas pessoas "seguiram" ou "compartilharam" seu conteúdo.

Sua única obsessão era agradar o Pai. Deveríamos também estar obcecados.

Mateus informou que Jesus pregava o evangelho e curava os doentes por toda a Galileia. (4:23) Por causa de sua pregação e cura "sua fama correu", o que resultou em mais pregações e cura. (4:24) O resultado previsível de toda essa pregação e cura foi que "o seguiam grandes multidões" (4:25).

Então, Jesus agora tinha fama e multidões. A única coisa que falta (para o sucesso moderno) é a fortuna. Mas uma grande fama, uma multidão de seguidores e fortuna financeira não importavam para Jesus. E não deve ser importante para nós. Mas muitas vezes importa. Mesmo no ministério.

O que Jesus fez com sua nova fama e uma enorme multidão de seguidores? Como ele "alavancou suas plataformas" para aumentar seus seguidores? Como ele alterou seu "conteúdo" para aumentar seus seguidores? Como ele monetizou sua influência? Isso é o que faríamos, certo?

Observe cuidadosamente o que Jesus fez. "Jesus, pois, vendo as multidões, subiu ao monte; e, tendo se assentado, aproximaram-se os seus discípulos" (Mateus 5:1).

Duas palavras importantes: multidões e discípulos.

1. "vendo as MULTIDÕES, subiu ao monte".

Hoje, quando vemos multidões em nosso culto de domingo, no nosso ministério itinerante ou nas mídias sociais, pensamos que conseguimos. Devemos estar fazendo algo certo e Deus deve estar abençoando nossos esforços.

Para sermos bons mordomos de nosso sucesso, fazemos tudo o que é imaginável para manter e aumentar nosso público. Nosso primeiro passo é aproveitar nossa plataforma de crescimento e influência. Jesus fez o contrário. Seu primeiro passo foi afastar-se da multidão.

2. "tendo se assentado, aproximaram-se os seus DISCÍPULOS”.

Não impressionado com sua popularidade cada vez maior, Jesus ignorou a multidão e subiu ao monte. Ele trocou uma enorme multidão de adornados seguidores por um pequeno grupo de discípulos comprometidos. Uma leitura cuidadosa dos evangelhos revelará que quanto mais multidões seguiam a Jesus, mais ele recuou para ficar sozinho com o Pai e com seus discípulos.

Todo líder de um ministério crescente será confrontado com uma decisão importante: atrair multidões ou fazer discípulos. Vamos deixar as multidões para fazer discípulos, ou permitiremos que as demandas da multidão nos separem do discipulado de pequenos grupos?

Muitos pastores e líderes ministeriais escolhem as multidões.

A ironia da situação é que muitas vezes, os líderes que escolhem fazer discípulos ao invés de atrair multidões, na verdade, acabam com multidões maciças, mas não multidões de adeptos inconstantes e buscadores de milagres, mas multidões de discípulos.

Quando seu ministério começar a crescer, escolha com sabedoria, meus amigos.