Resultados da Graça
Texto: Romanos 12: 3-8

Introdução: Falar sobre a graça de Deus e suas implicações na vida cristã, sem dúvida alguma para mim é aquilo que mais produz satisfação no bojo da minha vida, talvez pense eu, como Spurgeon declarou, a graça de Deus é como o jardim do Éden, que continha toda sorte de deleites.

Se alguém estivesse limitado a pregar exclusivamente sobre a graça de Deus, teria assunto para a vida toda. Cada parte desta doutrina traz encanto e satisfação para a vida, Robert Louis Stevenson disse algo profundo sobre a graça: “Nada existe, a não ser a graça de Deus. Andamos sobre ela;nós a respiramos;vivemos e morremos por ela;ela forma os eixos e encaixes do universo”. É uma fonte inesgotável. Paulo e os escritores da bíblia, regidos pelo Espírito Santo põe diante de nós uma escada dourada, onde cada degrau sobe para algo mais elevado: de pecador perdido passa para a condição de salvo redimido, da condição de salvo passa para a de privilegiado com toda sorte de bênçãos espirituais em Cristo, daí passa para a segurança da glória e etc. John Newton afirmara que: “Não sou o que posso ser, não sou o que devo ser, não sou o que espero ser; mas agradeço a Deus porque não sou o que outrora era, e posso dizer com o grande apóstolo: ”Pela graça de Deus sou o que sou”.

A graça também tem sua particularidade de produzir aquilo que podemos chamar de o “algo mais”, que Deus tem para seus filhos e nesta passagem podemos aprender que: É COMPROMISSO CRISTÃO PROMOVER A ATIVIDADE DA GRAÇA DE DEUS NO CONTEXTO DA COMUNIDADE

RESULTADOS QUE A ATIVIDADE DA GRAÇA DE DEUS PRODUZ NO CONTEXTO DA COMUNIDADE:

I. Produz visão equilibrada de si mesmo. V. 3

1. A importância da auto avaliação
A auto imagem e a nova identidade do cristão (Filipenses 4: 5 a 8; I Pedro 2:9)

2. O propósito de um conceito moderado
O aquém e o além (II Timóteo 1:7)

3. A fé repartida por Deus é o parâmetro
Deus deu a cada um, é um padrão pelo qual somos medidos na nossa forma de pensar (Fp.4:8)

4. A consequência de um conceito equilibrado
Pensando e sentindo como Cristo (Filipenses 2:5; I Coríntios 2:16)

II. Produz consciência de unidade na igreja. V. 4-5

1. O paradigma do corpo humano
É um só corpo, constituído por muitos membros com diferentes funções (Efésios 4: 3 e 4)

2. A analogia do corpo de Cristo
A igreja é corpo de Cristo, com muitos membros e cada um é membro um do outro  (I Coríntios 12:12 e 27)

3. A relação entre estes muitos membros
Causa vida e unidade como meio difusor da fé (João 17:21)

III. Produz compreensão da ação funcional dos dons no reino.  V. 6-8

1. Os dons são estabelecidos
Há uma diversidade de dons que são doados pelo Espírito Santo (Efésios 4:12)

2. Os dons são desenvolvidos
Há maneiras específicas e gerais para eles serem administrados e desenvolvidos (I Pedro 4:10)

3. O uso dos dons tem objetivos
A edificação do corpo visando o bem coletivo (I Coríntios 14:12)

Conclusão:

1. Qual é o conceito que você tem feito de si mesmo?

2.  Como você tem se relacionado com seus irmãos e que tipo de influência que a vida deles tem exercido na sua vida?

3. A sua consciência tem mostrado que você é parte integrante do corpo, sendo que o fato de possuir dons, o impulsiona a usá-los para atender as pessoas da comunidade que você participa?

Pr.Carlos