Série: O Caminho (parte 3): Pertencendo ao Caminho

Série: O Caminho (parte 3): Pertencendo ao Caminho
“Saulo, porém, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote, e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, caso encontrasse alguns do Caminho, quer homens quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém” (Atos 9:1-2).

A perseguição contra a igreja começou com a morte de Estêvão (Atos 8:1). Saulo continuou esta perseguição com um plano de ir a Damasco para prender os discípulos e trazê-los de volta para Jerusalém. Aqueles que foram alvo de perseguição eram aqueles que estavam "pertencendo ao Caminho". Discutiremos a ideia de perseguição na próxima lição.

No entanto, antes de esses indivíduos serem alvos, eles primeiro tinham que pertencer ao “Caminho”. Nesta lição, vamos ver o que as Escrituras ensinam sobre “pertencer ao Caminho” - como se tornar parte deste grupo e permanecer nele.

Tornando-se um Discípulo

“O Caminho” (Atos 9:2) era composto por aqueles que eram seguidores de Jesus - aquele que é identificado como “o caminho” (João 14:6). Esta é a essência do discipulado - ser um seguidor de Jesus. A palavra grega para discípulo significa “aprendiz, aluno”. Os apóstolos foram comissionados pelo Senhor para “fazer discípulos de todas as nações” (Mateus 28:19).

Como alguém se torna um discípulo? Para responder a essa pergunta, podemos observar as instruções que o Senhor e Seus apóstolos deram àqueles que seriam Seus seguidores. Olhando para o Novo Testamento, podemos ver que, para se tornar um discípulo, um indivíduo deve:

Ouvir o evangelho - “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15). O evangelho deve ser pregado porque as pessoas devem ouvi-lo para responder a ele. Jesus disse: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (Lucas 8:8).

Crer que Jesus é o Cristo - “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Marcos 16:16). Não apenas o crer é necessário para a salvação, mas Jesus disse especificamente que aqueles que não creem serão condenados. Ele disse em outro lugar: “Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados; porque, se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados” (João 8:24). Curiosamente, a palavra "Ele" não está no texto original em grego, mas foi adicionada pelos tradutores. A declaração de Jesus significa que devemos crer que Ele é o “EU SOU” - o nome que Deus chamou a Si mesmo quando falou a Moisés da sarça ardente (Êxodo 3:14). Em outras palavras, não é suficiente simplesmente acreditar na existência de Jesus; devemos crer que Ele é Deus (Colossenses 2:9).

Arrepender-se dos pecados - “Não, eu vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis” (Lucas 13:3, 5). A crença de que devemos ter (ponto anterior) deve nos levar à ação. Arrependimento significa afastar-se do pecado e começar a servir ao Senhor. Jesus disse em outro lugar: "Se alguém quiser vir após mim, deve negar-se a si mesmo e tomar sua cruz diariamente e seguir-me" (Lucas 9:23). Quando tomamos a decisão de seguir o Senhor, estamos assumindo o compromisso de servi-Lo diariamente.

Confessar a fé em Cristo - “Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:9-10). Esta é a afirmação verbal da nossa fé. Precisamos fazer mais do que reconhecer mentalmente o senhorio de Cristo. Além do arrependimento, devemos também estar dispostos a fazer “a boa confissão na presença de muitas testemunhas” (1 Timóteo 6:12).

Ser batizado em Cristo - “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Marcos 16:16). “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mateus 28:19). Muitas pessoas vão empurrar para trás neste ponto e tentar argumentar que o batismo não é necessário para ser salvo ou para se tornar um discípulo de Jesus. No entanto, Jesus disse que o batismo é tão necessário para a salvação quanto o crer (Marcos 16:16) e é um passo essencial no processo de discipulado (Mateus 28:19). Aqueles que rejeitarem isto e tiverem “descrido” a Jesus “serão condenados” (Marcos 16:16). Paulo descreveu o batismo como o ato em que nos revestimos de Cristo: “Pois todos os que foram batizados em Cristo se revestiram de Cristo” (Gálatas 3:27).

Quando nos tornamos um discípulo, pertencemos a Cristo. Pedro explicou isso em sua primeira epístola: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós que outrora nem éreis povo, e agora sois de Deus; vós que não tínheis alcançado misericórdia, e agora a tendes alcançado” ( 1 Pedro 2:9-10). Como “um povo para sua própria possessão”, devemos ser “zelosos de boas obras” (Tito 2:14). Em outras palavras, devemos continuar a servi-lo e fazer o que é certo em toda a nossa vida.

Seguindo a Direção Certa

“Pertencer ao Caminho” (Atos 9:2) sugere que estamos seguindo um certo caminho. Discutimos as características desse caminho na lição anterior:
  • É “o caminho [que] é estreito” (Mateus 7:14).
  • É “o caminho da verdade” (2 Pedro 2:2).
  • É “o caminho da justiça” (2 Pedro 2:21).
Não é suficiente simplesmente tornar-se um discípulo. Discipulado não é um "distintivo de mérito" que ganhamos em um ponto e depois passamos para outras coisas. Discipulado é um estilo de vida que envolve seguir o Senhor.

Ao fazer discípulos, os apóstolos deveriam ensiná-los a observar as ordens de Jesus: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mateus 28:19-20). Isso significa que devemos ir à palavra de Deus para as instruções que devemos seguir em todas as áreas da vida.

No lar - “Vós, mulheres, sede submissas a vossos maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não as trateis asperamente. Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais; porque isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não fiquem desanimados” (Colossenses 3:18-21). Qualquer lugar que tenhamos na família, devemos cumprir nossas responsabilidades que foram estabelecidas na palavra de Deus.

No local de trabalho - “Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo somente à vista como para agradar aos homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor. E tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor, e não aos homens, sabendo que do Senhor recebereis como recompensa a herança; servi a Cristo, o Senhor. Pois quem faz injustiça receberá a paga da injustiça que fez; e não há acepção de pessoas. Vós, senhores, dai a vossos servos o que é de justiça e equidade, sabendo que também vós tendes um Senhor no céu” (Colossenses 3:22-4:1). Embora essas instruções descrevam a relação senhor-escravo - que não temos em nossa sociedade - podemos aplicar os mesmos princípios hoje. Quer sejamos líderes ou subordinados, devemos agir de acordo com os preceitos do Senhor.

Na comunidade - “Andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade. A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um” (Colossenses 4:5-6). Jesus disse: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus” (Mateus 5:16). Devemos nos conduzir diante dos outros para que eles possam ver que “Cristo vive em nós” (Gálatas 2:20).

Na igreja - “Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio sangue” (Atos 20:28). “porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos” (Efésios 5:23-24). A igreja pertence a Cristo; portanto, devemos fazer todas as coisas de acordo com o padrão que Ele revelou em Sua palavra (2 Timóteo 1:13; Hebreus 8:5).

Na assembleia - "Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade" (João 4:24). Não podemos adorar de qualquer maneira que queremos e esperarmos agradar a Deus. Devemos adorar com a atitude apropriada (“em espírito”), seguindo Suas instruções sobre o que Ele quer que façamos em nossas assembleias (“na verdade”).

Paulo escreveu: “Tudo o que você fizer em palavras ou atos, faça tudo em nome do Senhor Jesus” (Colossenses 3:17). Tudo o que fazemos deve ser feito em nome do Senhor. Isso não significa que simplesmente reivindicamos fazer coisas para o Senhor. Isso significa que agimos por sua autoridade. Jesus disse: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7:22-23). Em outras palavras, haveria muitos que estavam fazendo coisas que eles afirmariam ser para o Senhor; no entanto, eles estavam realmente engajados na ilegalidade - atuando sem a autoridade de Deus, encontrada em Sua lei, que Ele revelou em Sua palavra. Como discípulos, devemos aprender a ir às Escrituras para encontrar o que precisamos fazer em todas as coisas.

Continuando no Caminho

Quando nos tornamos um discípulo, não assinamos um contrato que acabará após um período de tempo; Estamos fazendo um compromisso vitalício. Jesus disse: "Ninguém, depois de colocar a mão no arado e olhar para trás, é apto para o reino de Deus" (Lucas 9:62). Mais tarde, falando em discipulado, Jesus disse: “Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se senta primeiro a calcular as despesas, para ver se tem com que a acabar? Para não acontecer que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a zombar dele, dizendo: Este homem começou a edificar e não pode acabar" (Lucas 14:28-30). Embora seja bom começar no caminho certo, é tudo em vão se não continuarmos no caminho certo até o fim.

Não importa o que aconteça nesta vida, devemos permanecer fiéis ao Senhor. Foi dito aos cristãos em Esmirna: “Sede fiéis até a morte, e eu lhes darei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10).

É possível a um discípulo perder sua salvação. Muitas pessoas religiosas acreditam no conceito de “uma vez salvo, sempre salvo”; no entanto, Paulo estava claro em seus escritos que um cristão pode “[cair] da graça” (Gálatas 5:4). É por isso que ele admoestou os irmãos em Corinto a “não receber a graça de Deus em vão” (2 Coríntios 6:1). Eles receberam o dom gracioso de salvação de Deus quando obedeceram ao evangelho, mas puderam agir de maneira a jogar fora aquilo. Até o próprio Paulo sabia que, se ele não permanecesse fiel, ele poderia se perder. Em sua primeira carta a Corinto, ele escreveu: “Mas eu disciplino meu corpo e o faço meu escravo, para que, depois de eu ter pregado a outros, eu mesmo não seja desqualificado” (1 Coríntios 9:27). Nós não devemos "recuar para a perdição, mas sim daqueles que creem para a conservação da alma" (Hebreus 10:39).

Paulo disse aos filipenses: “Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas vou prosseguindo, para ver se poderei alcançar aquilo para o que fui também alcançado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3:12-14). Da mesma forma, devemos "prosseguir em direção ao alvo" hoje.

Conclusão

“O Caminho” leva à salvação, mas devemos pertencer ao “Caminho” para sermos salvos. Precisamos ouvir o evangelho, crer que Jesus é o Filho de Deus, arrepender-se de nossos pecados, confessar nossa fé e depois ser batizado em Cristo. Então, uma vez que estamos no caminho, devemos continuar no caminho para alcançarmos nossa recompensa.
Série: O Caminho (parte 3): Pertencendo ao Caminho Série: O Caminho (parte 3): Pertencendo ao Caminho Reviewed by Aldenir Araujo on 8/27/2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.