Série: A Raiz do Problema - Ignorância
Leis são frequentemente violadas por aqueles que não sabem que estão infringindo uma lei. Nestes casos, uma transgressão é feita, independentemente do conhecimento do infrator do estatuto. Não é incomum alguém afirmar que não estava ciente da lei que estava infringindo. Mesmo se isso for verdade, ele ainda pode ser punido por sua violação.

Este conceito não é difícil de entender no sistema legal da nossa sociedade. No entanto, quando se trata da lei de Deus, as pessoas muitas vezes optam por olhar para ela de maneira muito diferente. Enquanto eles não sabem que o que estão fazendo é errado, eles estão perfeitamente contentes em supor que estão fazendo o certo. Eles se recusam a considerar o fato de que nossos pecados ainda nos condenam. A ignorância não é mais uma desculpa para ser usada diante de Deus do que para as autoridades humanas.

A ignorância é felicidade?

Nós ouvimos a frase: ignorância é felicidade. A ideia pressupõe que, muitas vezes, é melhor não sabermos sobre os problemas que podem surgir. Se alguém é ignorante, ele não precisa gastar seu tempo se preocupando com o problema. Ele não tem que trabalhar para consertar ou impedir isso também. Quando se trata de violar a lei (seja a lei de Deus ou do homem), a ignorância é atraente porque ela proíbe a culpa e não requer nenhum ato de arrependimento ou restituição.

Quando se trata da palavra de Deus, a ideia de “ignorância é felicidade” é completamente falsa. Observe as palavras de Deus através do profeta Oséias:

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Oséias 4:6).

A destruição estava chegando porque essas pessoas não conheciam a lei de Deus. Se alguém não conhece a lei, ele não pode cumprir a lei. Além disso, ele é incapaz de saber como não violar a lei de Deus. Portanto, a ignorância torna a punição de Deus porque o pecado se torna inevitável. Paulo faz um ponto semelhante no Novo Testamento:

“e a vós, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder em chama de fogo, e tomar vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus; os quais sofrerão, como castigo, a perdição eterna, banidos da face do senhor e da glória do seu poder” (2 Tessalonicenses 1:7-9).

Paulo diz que há dois grupos de pessoas que enfrentarão a ira de Deus quando o Senhor retornar. Um grupo é formado por aqueles que não obedecem ao evangelho. Isso deve ser compreensível. Aquele que desobedecer será punido. Mas e o outro grupo? Aqueles que não conhecem a Deus serão punidos. Certamente eles podem alegar ignorância, certo?

Mesmo se alguém pode verdadeiramente afirmar isso, a ignorância não justifica a pessoa diante de Deus. Aqueles que desejam ser salvos devem conhecer a Deus e obedecer-Lhe.

Isso parece injusto para muitas pessoas. Por que Deus destruirá as pessoas pela ignorância? Esta não é a pergunta certa a ser feita. Deus não vai destruir ninguém por ignorância, mas Ele destruirá as pessoas na ignorância. A ignorância é um problema porque impede a pessoa de obedecer a Deus e evitar o pecado.

Já observamos neste estudo que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e que “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23). Mas Deus providenciou o remédio para o pecado em Sua palavra. Se quisermos ser salvos do pecado, deve ser através do evangelho.

“Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Romanos 1:16).

“Perguntou então Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna” (João 6:67-68).

Todos os que permanecem no pecado serão punidos pelo pecado. Se alguém é ignorante ou não, não irá alterar o resultado final. Embora se possa ter uma forma tratável de câncer, se ele não sabe que está doente ou não está ciente do tratamento, ele acabará morrendo de sua condição.

Substituindo a Ignorância pelo Conhecimento

Se esperamos superar este obstáculo, devemos primeiro perceber que a ignorância não é uma desculpa. Em vez de encontrar contentamento na ignorância, entenda que isso leva ao pecado. Pedro nos adverte contra sermos “conformes às concupiscências que antes tínheis na vossa ignorância” (1 Pedro 1:14).

O remédio para a ignorância é o conhecimento - não apenas qualquer conhecimento, mas o conhecimento da palavra de Deus. Como Oséias disse: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.... visto que te esqueceste da lei do teu Deus...” (Oséias 4:6). Paulo nos diz como substituir nossa ignorância pelo conhecimento.

“Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15).

Algumas traduções deste versículo usam a palavra “estudo”, enquanto outras não. Independentemente disso, está implícito neste verso. Devemos ser diligentes em nossos esforços para aprender a manejar com precisão a palavra de Deus. Isso é conseguido através do estudo.

“Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor” (Efésios 5:17).

Embora muitas pessoas digam que não podemos entender a Bíblia, Paulo diz que podemos e devemos compreendê-la (Efésios 3:4). A ignorância é uma ameaça para nossas almas. Nunca devemos nos contentar em não saber o que Deus espera de nós.

O pecado nos fará perecer. Deus nos mostrou o remédio para o pecado em Sua palavra. Se quisermos vencer o pecado e deixa-lo para trás, devemos substituir nossa ignorância pelo conhecimento da palavra.

Resumindo

A ignorância leva ao pecado. Você deve reconhecer que as transgressões são punidas com ou sem o conhecimento da lei. Portanto, substitua a ignorância pelo conhecimento da palavra de Deus.