Série: A Raiz do Problema - Rebelião
Um rebelde é aquele que age contra a autoridade. Tal ação pode ser boa quando aqueles que estão em autoridade são corruptos e se opõem a Deus (Atos 5:29). Mas aqueles que se recusam a se submeter a tais autoridades não são simplesmente rebeldes. Eles estão agindo em submissão à autoridade superior - Deus. Mas há alguns que simplesmente se recusam a se submeter a alguém em autoridade - pai, professor, empregador, policial, funcionário do governo e até mesmo Deus. Eles querem ser livres para fazer o que quiserem sem restrições impostas por outros.

O pecado ocorre quando falhamos em nos submeter a Deus. Se quisermos vencer o pecado, devemos obedecer a Deus, pois o pecado é uma transgressão de Sua lei.

“Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós” (Tiago 4:7).

Resistir ao diabo é se submeter a Deus. A Bíblia é clara que nós temos duas escolhas: seguir a Deus ou seguir o diabo. Qualquer terceira opção que alguém possa inventar, se não puder ser classificada como seguindo a Deus, então, por padrão, ela cai na segunda categoria. Satanás não precisa levar as pessoas a ativamente e conscientemente adorar e segui-lo. Tudo o que ele precisa fazer é levá-los a se rebelar contra Deus, e ele venceu.

Pouco antes de ascender ao céu, Jesus disse aos seus apóstolos quem possuía toda a autoridade.

“E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mateus 28:18-20).

Os últimos versículos descrevem a comissão que Jesus deu a Seus apóstolos: fazer discípulos e ensiná-los a observar tudo o que Ele ordenou. Porque Jesus possui “toda autoridade”, Ele tem o direito de nos dar mandamentos e esperar que os obedeçamos. O dever dos apóstolos era espalhar esta mensagem para que outros pudessem aprender sobre a autoridade de Cristo e o que era exigido deles.

"derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo" (2 Coríntios 10:5).

A pregação do evangelho, que inclui fazer uma clara distinção entre a mensagem de Cristo e todos as outras, deve ser obedecida. Ela é projetada para levar "todo pensamento cativo à obediência de Cristo".

"E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai" (Colossenses 3:17).

Tudo o que dizemos e fazemos deve ser autorizado por Cristo. Aqueles que dirão que Deus não está preocupado com nossa obediência estão deturpando as Escrituras. Deus exige obediência. Cristo tem toda autoridade, então as coisas que dizemos e fazemos devem estar de acordo com o que Ele deixou para nós em Sua palavra. Se não nos submetermos a Ele dessa maneira, Jesus claramente ensina que finalmente seremos condenados.

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7:21-23).

Observe que essas pessoas alegaram fazer as coisas em nome de Cristo. No entanto, reivindicar fazer algo em nome de Cristo não é a mesma coisa que realmente fazer algo em Seu nome (por Sua autoridade). Não importa se somos religiosos ou se estamos fazendo coisas que são classificadas pelo mundo como “boas obras”. Se não estamos fazendo a vontade do Pai, estamos praticando a ilegalidade - aquilo para o qual não temos lei (autoridade).

Submissão a Deus é para o nosso bem

Mas por que devemos nos submeter a Deus? Satanás e seus ministros tentarão nos convencer de que submeter-se a Deus é irracional ou desnecessário. Eles dirão que podemos escolher outro caminho. No entanto, a Bíblia nos explica por que devemos nos submeter a Deus.

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos" (Isaías 55:8-9).

“Porque a loucura de Deus é mais sábia que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte que os homens” (1 Coríntios 1:25).

Com frequência, arrogantemente ou obstinadamente, nos apegamos às nossas próprias opiniões sobre as coisas, pensando que o nosso caminho é o melhor. Na verdade, o caminho que é sempre melhor é o caminho que Deus nos mostrou. Seus pensamentos são infinitamente mais altos que nossos pensamentos. Se você pudesse imaginar qualquer tolice da parte de Deus, mesmo isso seria mais sábio do que a sabedoria dos homens. Nós nos submetemos a Deus porque o Seu caminho é o melhor.

"Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte" (1 Pedro 5:6).

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável e imarcescível, reservada nos céus para vós” (1 Pedro 1:3-4).

Deus também é capaz de nos recompensar pelo nosso serviço fiel a ele. Pedro nos diz que Ele nos exaltará no tempo apropriado - o fim quando Ele voltar para entregar Sua recompensa. Se considerarmos o que Ele nos oferece, é verdadeiramente tolo se rebelar contra Ele e seguir teimosamente a nossa vontade.

Satanás tenta nos convencer a rejeitar o governo de Cristo. Ele faz seu apelo ao espírito rebelde e independente, tentando nos fazer acreditar que o caminho de Cristo é muito restritivo e que não há liberdade suficiente. Afinal, devemos estar livres para viver como quisermos, certo? Nós certamente somos livres para viver como quisermos. Mas isso não significa que vivemos sem um mestre. Se não quisermos ser escravos de Cristo e, portanto, recusarmos a nos submeter a Ele, ainda não somos verdadeiramente livres - somos escravos do pecado.

“Porque, quando éreis servos do pecado, estáveis livres em relação à justiça” (Romanos 6:20).

Quando procuramos nos libertar da prática da justiça no serviço de Cristo, nos tornamos escravos do pecado. Por que escolhemos nos rebelar contra Cristo em vez de rejeitar o outro mestre - pecado? Cristo, através do nosso serviço a Ele, nos dá liberdade (2 Coríntios 3:17). O caminho do pecado é um dos cativeiros que finalmente leva à morte (Romanos 6:12-13, 23).

Resumindo

O pecado é uma rebelião contra Deus e Seus caminhos. Portanto, se você espera remover o pecado de sua vida, lembre-se dos benefícios do serviço a Deus: a certeza de que o Seu caminho é o melhor e que Ele nos recompensará no final. Lembre-se também das consequências de se rebelar contra ele: a escravidão ao pecado e, em última análise, a morte espiritual.