10 Coisas Que Você Precisa Saber Sobre a Presença de Deus

10 Coisas Que Você Precisa Saber Sobre a Presença de Deus

1. Deus é imanente porque é transcendente.

O Senhor é “Deus nos céus acima (transcendente) e embaixo na terra (imanente)” (Josué 2:11). Mas, para compreendermos a Deus na íntegra, devemos reconhecer que o fato dele se aproximar da criação decorre de ele ser distinto da criação. Em outras palavras, não há deficiência em Deus que a criação satisfaça. O Senhor não se relaciona com este mundo porque lhe falta algo dentro de si mesmo. Não, Deus se aproxima da abundância de quem ele é.

A transcendência de Deus o distingue da ordem criada e coloca as coisas em sua perspectiva correta. Deus não vem a nós necessitado e carente, mas ao contrário, ele vem para “para vivificar o espírito dos humildes, e para vivificar o coração dos contritos” (Isaias 57:15). Ele é o Santo e justo que habita em um alto e santo lugar e restaura os quebrantados e necessitados que estão embaixo.

2. A Bíblia enfatiza a presença manifesta de Deus, não apenas sua onipresença.

Há uma diferença entre dizer “Deus está em toda parte” e dizer “Deus está aqui”. O primeiro é a categoria padrão para a maioria dos cristãos. Nós falamos sobre a presença de Deus como sendo inevitável e que ele está “presente em todos os lugares” (Salmo 139:5-12; 1 Reis 8:27).

Mas parece que a Escritura está mais preocupada com sua presença manifesta no relacionamento e na redenção. E embora essas realidades divinas certamente não estejam em desacordo, a história bíblica se centra em Deus sendo manifestado com seu povo no Éden, no tabernáculo / templo, na encarnação de Cristo e o novo céu e nova terra.

3. A história da Escritura começa e termina com a presença de Deus.

No livro de Gênesis, o Éden é o lar do primeiro casal, mas, mais importante, é o santuário de Deus - o templo do jardim onde o Criador e os portadores de sua imagem se relacionam (Gênesis 3:8).

Avançando para o final de nossas Bíblias, vemos uma imagem muito semelhante, mas em escala muito maior. Todo o céu colidiu com toda a terra para fazer um santuário perfeito para Deus habitar com o homem (Apocalipse 21:1-4). No livro do Apocalipse, o Éden retornou e se expandiu para um novo céu e nova terra, onde todo o povo de Deus desfruta de sua presença eternamente.

4. A missão da humanidade e a presença de Deus são inseparáveis.

Deus deu propósito ao homem e a mulher. Eles deveriam “ser frutíferos e multiplicar-se” para “encher a terra, subjugá-la e ter domínio” (Gênesis 1:28). Adão e Eva deveriam fazer isso no Éden, o epicentro da presença relacional de Deus na criação. À medida que a família do primeiro casal se expandisse, também as fronteiras do jardim e, com ele, a presença de Deus. Da mesma forma, a presença de Deus deveria se espalhar para o resto da terra através do domínio exercido por Adão e Eva (Números 14:21; Salmo 72:19; Isaias 11:9).

5. O pecado prejudica a missão da humanidade e a experiência da presença de Deus.

Mas há um problema, não? Adão e Eva substituíram as bênçãos por maldições quando comeram o fruto proibido. Essas maldições vão direto ao coração de quem eles são e do que foram feitos para fazer. Para Eva, a dor supera a promessa de um povo. Para Adão, a transpiração e os espinhos impedirão a promessa de lugar.

O pecado impede tudo, especialmente a experiência do homem da presença de Deus. Por causa de sua desobediência, Adão e Eva são agora exilados; sua missão está em ruinas uma vez que se encontram fora do Éden. A presença de Deus que uma vez conheceram livremente não é mais livre.

6. Deus faz um pacto para trazer sua presença de volta ao seu povo.

Mas em graça, Deus intervém para pagar o preço. Para vencer o pecado do homem e garantir seus propósitos, o Criador se torna o Redentor da aliança. Através de suas promessas do pacto, o Senhor restaura o que Adão deixou de fazer. Deus faz um povo e um lugar através do pacto, enquanto mantém suas promessas para a humanidade.

Deus faz tudo isso para que ele possa ser nosso Deus e nós podemos ser seu povo (Gênesis 17:7; Êxodo 6:7; 29:45; Apocalipse 21:3, etc.). No coração do pacto, então, está um relacionamento - que está decididamente em seus termos. Deus entra em sua criação para criar um povo e um lugar para sua presença. E assim o pacto é como o Senhor declara no Sinai: “Habitarei no meio dos filhos de Israel, e serei o seu Deus; e eles saberão que eu sou o Senhor seu Deus, que os tirei da terra do Egito, para habitar no meio deles; eu sou o Senhor seu Deus” (Êxodo 29:45-46).

7. A presença de Deus é o meio e o fim da redenção.

Como evangélicos, falamos muito sobre a presença de Deus, mas raramente olhamos para a Bíblia para ver o que é. Quando o fazemos, descobrimos que é em primeiro lugar um tema sobre o qual a história da Escritura se desenrola. Se lermos nossas Bíblias, começamos a ver um padrão duplo.

Primeiro, a Bíblia deixa claro que a presença de Deus é um objetivo central na missão redentora de Deus. Todo o trabalho de Deus termina com o Senhor morando com o homem. E segundo, a presença de Deus, não é apenas um objetivo, é também o meio pelo qual a missão redentora é cumprida. Deus se escreve em sua própria história para trazer salvação. Para entender nossas Bíblias e como isso nos transforma, precisamos conhecer a presença de Deus.

8. A presença de Deus encontra sua maior expressão em Emanuel, Deus conosco.

O próprio Deus vem para salvar. Jesus Cristo, o Filho de Deus, entra na história da humanidade para dar a sua vida em resgate por muitos (Mateus 20:28; Marcos 10:45). Em sua graça, Deus nos compra de volta da maneira mais inimaginável possível: Deus em Cristo tornou-se homem, andou entre a humanidade e morreu por seu povo.

Neste ato misericordioso, Cristo nos reconcilia consigo mesmo e reabriu o acesso ao Pai, para que aqueles que uma vez foram exilados de sua presença pudessem aproximar-se novamente de Deus (Hebreus 4:16; 7:19).

9. Os propósitos da igreja estão ligados à presença de Deus.

A presença de Deus tem enormes implicações para a maneira como entendemos a igreja (1 Coríntios 3:16-17; 2 Coríntios 6:14-7:1; Efésios 2:13-22). O Novo Testamento chama a igreja de templo por uma razão. Através desta imagem, vemos que a comunidade de Cristo é - neste tempo de espera pelo retorno de Cristo - o instrumento que o Senhor usa para disseminar sua presença para um mundo perdido e pecaminoso.

Assim, a igreja tem dois propósitos claros: 1) a igreja trabalha dentro de si para a santificação de seus membros para preparar o povo de Deus para a presença presente e futura de Deus; e 2) a igreja trabalha externamente para compartilhar o evangelho para que os perdidos possam desfrutar da presença de Deus agora e para sempre também.

10. Ser um cristão alegre é conhecer a presença de Deus.

Se formos honestos, muitos de nós pensamos em Deus como nosso "gênio mágico" de vez em quando. Nós o mantemos na prateleira até que surjam problemas ou haja algo que nosso vizinho tenha e que realmente queremos. O problema é que relacionamentos reais não funcionam dessa maneira - especialmente com o Deus trino. O Senhor acima de tudo não será deixado na prateleira da vida de ninguém.

Em vez disso, as Escrituras deixam claro que toda a vida - e, principalmente, a vida do evangelho - é sobre estar na presença relacional de Deus. É por isso que Davi proclama: “na tua presença há plenitude de alegria, e à tua direita há prazeres para sempre” (Salmo 16:11). Quando empurramos todos os nossos problemas periféricos para a periferia, isso é tudo o que resta e tudo o que realmente importa.
10 Coisas Que Você Precisa Saber Sobre a Presença de Deus 10 Coisas Que Você Precisa Saber Sobre a Presença de Deus Reviewed by Aldenir Araujo on 9/09/2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.