Porque Deus Usou o Vento Para dividir o Mar Vermelho?
Não é nenhum segredo que a Bíblia está repleta de milagres - os mortos sendo ressuscitados, os enfermos sendo curados, o sol parado e assim por diante. Mas talvez você tenha se perguntado, como eu, por que Deus usou um vento oriental para dividir o Mar Vermelho ao longo de uma noite inteira (Êxodo 14:21). Por que não simplesmente dividiu as águas sob o seu comando? Afinal, Deus claramente não precisava do vento.

Duas razões vêm à mente quando reflito sobre essa questão.

Primeiro, Deus estava deixando claro para os israelitas que Ele controla a natureza. Deus e a natureza não são forças iguais e / ou concorrentes. Deus dirige a natureza para realizar seus fins. Deus é o mestre e a natureza é o servo.

Esse é o mesmo ponto da frase inicial da Bíblia: “No princípio criou Deus os céus e a terra” (Gênesis 1:1). Em outras palavras, Deus é eterno, auto existente, atemporal e poderoso o suficiente para chamar as coisas à existência sem usar nada. Ele trouxe a natureza à existência e a controla.

Saber que Deus controla a natureza era especialmente importante para os israelitas que eram constantemente tentados a adorar as coisas criadas, em vez do criador (Romanos 1). Usando um vento oriental para dividir o Mar Vermelho, Deus estava reforçando aos israelitas que Ele controla a natureza.

Segundo, Deus dá às pessoas a liberdade de rejeitá-lo, se assim o desejarem. Um cético poderia ter argumentado: “Veja, Deus não fez o milagre; foi o vento!”. É assim que Deus parece trabalhar em geral. Ele se revela, mas permite às pessoas a liberdade de negá-lo, se assim o desejarem. Deus não está interessado em coagir as pessoas para um relacionamento com ele.

Com isso dito, acredito que a evidência para a fé cristã é convincente.

Mas especialmente em nossa era de acesso instantâneo a informações infinitas, sempre há espaço para dúvidas. Assim como um egípcio cético poderia alegar que os ventos do leste sopraram fortuitamente para salvar os israelitas, estamos livres para argumentar hoje que o universo veio do nada, que valores morais emergiram de processos sem valor, que a consciência surgiu da matéria ou que Jesus nunca existiu.

Deus não vai forçar ninguém a acreditar nEle. Ele dividiu o Mar Vermelho com um vento oriental para mostrar Seu poder sobre a natureza e também para convidar os israelitas a confiar nEle. E, no entanto, Ele deu espaço para o cético negá-Lo. E Ele faz o mesmo por nós hoje.