A Amizade de Deus Tornada Real Pelo Espírito Santo

Quando eu estava crescendo em meu esforço para me tornar um cristão, de alguma forma eu subordinei a obra do Espírito Santo de Deus somente ao reino das Escrituras. Eu acreditava que o Espírito Santo de Deus havia guiado os apóstolos através da inspiração para escrever as Escrituras, mas então dependia apenas de mim cumprir os mandamentos de Deus apenas com a força humana.
Eu estudei os longos e intermináveis ​​debates sobre o trabalho do Espírito Santo e o meio que ele usou para dirigir nossas vidas. Concluí que a ajuda do Espírito estava confinada apenas à entrega das escrituras por escrito. Eu não tinha certeza se o dom do Espírito Santo foi dado no batismo ou não. Eu não tinha certeza de qual era o dom do Espírito.

Atos 2:38-39 38 Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. 39 Porque a promessa vos pertence a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe: a quantos o Senhor nosso Deus chamar"

Eu nunca tinha certeza do que Pedro quis dizer quando disse: "e recebereis o dom do Espírito Santo". Mas senti que o dom do Espírito não tinha nada a ver com o Espírito de Deus habitando dentro de mim. Concluí que era simplesmente o dom da salvação. De alguma forma, em toda a minha confusão, removi totalmente o Espírito do contexto de um relacionamento pessoal íntimo com Deus.

Eu acreditava que os primeiros cristãos tinham uma medida do Espírito que eu não tinha. A principal razão pela qual cheguei a essa conclusão foi porque os primeiros cristãos realizaram milagres que não podemos realizar hoje. De alguma forma eu tinha fixado firmemente em minha mente que quando a era dos milagres, sinais e maravilhas terminaram, o trabalho do Espírito Santo foi completado. O Espírito nos deu a palavra; ele havia confirmado a palavra com sinais e milagres, agora era nossa responsabilidade obedecê-la sem a ajuda do Espírito.

A Amizade de Deus Tornada Real Pelo Espírito Santo

A Falácia Desta Visão

Houve uma grande falácia na minha opinião; deixou-me impotente para viver os princípios encontrados no texto inspirado. Eu estava buscando obediência através do poder da carne, em vez de procurar ser guiado pelo Espírito de Deus. Negar a presença do Espírito dentro de mim deixou o Espírito sem poder em minhas lutas. Deixou minha natureza pecaminosa sob controle, embora exteriormente parecesse ser um cristão.

É óbvio que a luta carnal de Paulo para viver de acordo com a lei de Deus foi um fracasso.

Romanos 7:21-8:8 21 Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo. 22 Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23 mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros. 24 Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? 25 Graças a Deus, por Jesus Cristo nosso Senhor! De modo que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado”.

Então, eu mesmo em minha mente sou um escravo da lei de Deus, mas na natureza pecadora um escravo da lei do pecado.

Paulo escreve: "22 Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23 mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros". É óbvio que Paulo entende e se deleita intelectualmente na lei de Deus, mas a lei do pecado em ação dentro de seu corpo carnal está promovendo a vitória sobre a lei da qual ele se deleita, e o pecado está ganhando.

Foi a lei do Espírito da vida que libertou Paulo da lei do pecado e da morte.

Romanos 8:1-8 1 Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus, 2 porque por meio de Cristo Jesus a lei do Espírito de vida me libertou da lei do pecado e da morte. 3 Porque, aquilo que a Lei fora incapaz de fazer por estar enfraquecida pela carne, Deus o fez, enviando seu próprio Filho, à semelhança do homem pecador, como oferta pelo pecado. E assim condenou o pecado na carne, 4 a fim de que as justas exigências da Lei fossem plenamente satisfeitas em nós, que não vivemos segundo a carne, mas segundo o Espírito. 5 Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito tem a mente voltada para o que o Espírito deseja. 6 A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz; 7 a mentalidade da carne é inimiga de Deus porque não se submete à Lei de Deus, nem pode fazê-lo. 8 Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus”. NVI

A lei do Espírito de vida vai além de aceitar o sacrifício de Cristo como uma oferta pelos nossos pecados, pois nos leva a ter nossa mente controlada pela poderosa presença do Espírito de Deus.
Sem a presença do Espírito, o estudo da palavra torna-se apenas um exercício carnal. É possível relegar a obra do Espírito de Deus a um exercício intelectual. Quando relegamos a obra do Espírito Santo ao reino intelectual, negamos para nós mesmos o poder de Deus.

João 5:39-40 39 Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim; 40 mas não quereis vir a mim para terdes vida”!

A carne deve ser levada à morte pelo poder do Espírito de Deus, para que seu poder possa nos elevar a viver uma vida espiritual.

Romanos 8:9-17 9 Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. 10 Ora, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça. 11 E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo Jesus há de vivificar também os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. 12 Portanto, irmãos, somos devedores, não à carne para vivermos segundo a carne; 13 porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. 14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. 15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai! 16 O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus; 17 e, se filhos, também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados”.

Esses versículos deixam claro que a vida espiritual é o resultado do poder do Espírito operando dentro de nós. Paulo escreve: "11 E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo Jesus há de vivificar também os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita.... se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. 14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus".

Esses versículos deixam claro que devemos matar os erros do corpo através do poder do Espírito Santo, enquanto ele conduz nossas vidas. O batismo é um mandamento (Marcos 16:15-16), mas o batismo é mais do que obediência carnal a um comando externo. Paulo nos diz: "26 Pois todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. 27 Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo" (Gálatas 3:26-27).

É impossível entender nossa parte no ato do batismo sem reconhecer a parte do Espírito Santo em nosso batismo. Paulo escreve: "Pois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos nós foi dado beber de um só Espírito" (1 Coríntios 12:13). O Espírito Santo estava nos batizando em Cristo. Seu presente tornou o novo nascimento possível.

Tito 3:3-8 3 Porque também nós éramos outrora insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias paixões e deleites, vivendo em malícia e inveja odiosos e odiando-nos uns aos outros. 4 Mas quando apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador e o seu amor para com os homens, 5 não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo, 6 que ele derramou abundantemente sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador; 7 para que, sendo justificados pela sua graça, fôssemos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. 8 Fiel é esta palavra, e quero que a proclames com firmeza para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras. Essas coisas são boas e proveitosas aos homens”.

Reconhecer a presença e o poder do Espírito em nossa conversão é essencial, pois é através dele que encontramos a renovação espiritual.

A palavra de Deus é uma ferramenta que o Espírito usa para dirigir nossas vidas, mas a palavra não é o Espírito. Paulo escreve: "Tomai o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus" (Efésios 6:17-18). A palavra de Deus é a espada do Espírito, mas não é o Espírito. O poder do evangelho é percebido quando o Espírito Santo usa a mensagem de Deus para penetrar em nossos corações.

1 Coríntios 2:10-15 10 Porque Deus no-las revelou pelo seu Espírito; pois o Espírito esquadrinha todas as coisas, mesmos as profundezas de Deus. 11 Pois, qual dos homens entende as coisas do homem, senão o espírito do homem que nele está? assim também as coisas de Deus, ninguém as compreendeu, senão o Espírito de Deus. 12 Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus; 13 as quais também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito Santo, comparando coisas espirituais com espirituais. 14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 15 Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido”.

Paulo está revelando como ele recebeu sua mensagem, mas ao mesmo tempo ele está nos dizendo que uma pessoa sem o Espírito de Deus não pode entender a mensagem. Paulo escreve: "O homem sem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, porque são loucura para ele, e ele não pode entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente".

Outro conceito é que a obra do Espírito de Deus não opera em nossas vidas separado e independente da palavra de Deus. Contudo, Paulo nos ensina que esta nova aliança deve ser escrita em nossos corações pelo Espírito.

2 Coríntios 3:1-3 1 Começamos outra vez a recomendar-nos a nós mesmos? Ou, porventura, necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de vós? 2 Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens, 3 sendo manifestos como carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne do coração”.

É o Espírito Santo que traz a palavra de Deus para a vida em mim. É o Espírito de Deus que ativamente traz a palavra de Deus para a minha vida.

Hebreus 4:12-13 12 Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. 13 E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas”.

Só o código escrito traz a morte, mas o Espírito dá vida.

2 Coríntios 3:4-6 4 E é por Cristo que temos tal confiança em Deus; 5 não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus, 6 o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica”.

Foi uma mentalidade carnal que levou os cristãos coríntios a fazer coisas irracionais com seu conhecimento espiritual de Cristo. Foi o que aconteceu em Corinto, mas não conseguimos perceber que eles estavam procurando direcionar o uso de seu conhecimento espiritual com sabedoria carnal ou nós dizemos mentes carnais. Paulo declara no início de sua carta a Corinto: "1 E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo. 2 Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis; 3 porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? 4 Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; não sois apenas homens?” (1 Coríntios 3:1-4)

Quando a carne nos motiva a guardar a lei de Deus; cria ciúmes e brigas. Nos deixa desgraçados. Está em nítido contraste com a forma como o Espírito procura nos conduzir à união no vínculo da paz. O uso carnal de seu conhecimento de Deus pelos coríntios deixou-os inflados uns contra os outros.

1 Coríntios 4:18-21 18 Mas alguns andam inchados, como se eu não houvesse de ir ter convosco. 19 Em breve, porém, irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam inchados, mas o poder. 20 Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder. 21 Que quereis? Irei a vós com vara, ou com amor e espírito de mansidão?”

É o nosso conhecimento ou imaturidade que está causando tantos problemas na igreja hoje?

1 Coríntios 8:9-13 9 Mas, vede que essa liberdade vossa não venha a ser motivo de tropeço para os fracos. 10 Porque, se alguém te vir a ti, que tens ciência, reclinado à mesa em templo de ídolos, não será induzido, sendo a sua consciência fraca, a comer das coisas sacrificadas aos ídolos?11 Pela tua ciência, pois, perece aquele que é fraco, o teu irmão por quem Cristo morreu. 12 Ora, pecando assim contra os irmãos, e ferindo-lhes a consciência quando fraca, pecais contra Cristo. 13 Pelo que, se a comida fizer tropeçar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para não servir de tropeço a meu irmão”.

Quando o cristianismo é baseado exclusivamente no conhecimento carnal, na ausência da presença do Espírito, nos falta sabedoria espiritual e discernimento para realizar o propósito de Deus para nossas vidas.

Tiago 1:5-8 5 Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. 6 Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. 7 Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, 8 homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos”.

O Espírito Santo é uma realidade em nossas vidas, e ele intercede por nós quando enfrentamos provações e tribulações. Ele entra em nossas vidas para levar a palavra de Deus à fruição em nossa caminhada pessoal com Deus enquanto ele conduz através da sabedoria recebida de Deus.

Romanos 8:26-27 26 Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. 27 E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a vontade de Deus, intercede pelos santos”.

Nós removemos totalmente o Espírito do contexto de um relacionamento pessoal íntimo com Deus? A comunhão do Espírito de Deus é uma realidade para nós hoje.

2 Coríntios 13:13 A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós”.

Gálatas 4:4-7 4 mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo de lei, 5 para resgatar os que estavam debaixo de lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. 6 E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai. 7 Portanto já não és mais servo, mas filho; e se és filho, és também herdeiro por Deus”.

Alguns Equívocos do Cristianismo

Podemos mapear o que a igreja é através de uma declaração doutrinária, mas abraçar a declaração doutrinária não é a mesma coisa que ter um relacionamento pessoal com Deus. Nós confundimos o mapa com o território; estudar um mapa de São Paulo, não diz nada sobre as experiências de alguém que mora em São Paulo. Chegamos a pensar que conhecer o mapa é a mesma coisa que conhecer a Deus, ou conhecer a doutrina correta é a mesma coisa que conhecer a Deus.

Podemos ser capazes de explicar nossas experiências, mas a explicação não é a experiência. Alguns pensam que contar aos outros sobre suas experiências de férias é uma maneira de compartilhar suas experiências de férias com outras pessoas, mas a explicação da experiência nunca é igual à experiência. . . sinceramente elas são geralmente muito chatas. Da mesma forma, ensinar o evangelho deve ir além de simplesmente relatar a história das experiências dos cristãos do primeiro século.

A capacidade de explicar o que estava acontecendo no primeiro século e quais eram suas experiências não é a mesma coisa que experimentar as verdades por nós mesmos. Não é o suficiente voltar e restaurar os princípios bíblicos que os profetas e apóstolos ensinaram, esses princípios devem ser escritos em nosso coração pelo Espírito de Deus para que possamos experimentar sua aplicação aos tempos em que vivemos. Então, e somente então, o ensino da Bíblia nos levará a um relacionamento com Deus.

A verdade proposicional seca não é a verdade relacional. A Bíblia é verdade relacional. Paulo escreve:

"Porquanto, tudo que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que, pela constância e pela consolação provenientes das Escrituras, tenhamos esperança" (Romanos 15:4) Paulo está falando das verdades da Bíblia como elas se relacionam necessidade de resistência e encorajamento em nossas provações. Eu não posso receber perseverança e encorajamento das Escrituras sem experimentá-las à medida que elas são aplicadas em minha vida. . . esta é a verdade relacional. Essa é a verdade que guia todo relacionamento em todas as circunstâncias em que nos encontramos. É a verdade que invade as experiências da vida.

Quando a verdade proposicional se torna a única base de nosso relacionamento, o relacionamento só pode ser obtido desde que concordemos com as proposições das verdades em que acreditamos. O relacionamento é então baseado em nossa capacidade de concordar racionalmente.

Eu acho que isso explica por que há tanta divisão dentro da igreja no presente. Nossa unidade sempre foi baseada na ideia de que devemos concordar com as proposições intelectuais de nossa doutrina. Isso coloca incalculável estresse sobre nós por causa de nossas diferenças culturais, intelectuais e de maturidade entre nós. Um esforço para ter unidade sem reconhecer nossos níveis diferentes nos força a concordar ou a nos dividir porque não há como concordarmos com cada questão. Ao fazermos isso, negamos o desejo do Espírito de nos conduzir na unidade do Espírito no vínculo de paz, independentemente de nossa capacidade de concordar com todas as nossas proposições doutrinárias. No entanto, quando somos incapazes de concordar, devemos manter a mente de Cristo em relação aos nossos relacionamentos uns com os outros.

O Medo Apaga a Obra do Espírito

O medo tem apagado a obra do Espírito. Podemos ter medo de alguém que não confina a obra do Espírito somente à palavra de Deus.

Efésios 3:14-19 14 Por esta razão dobro os meus joelhos perante o Pai, 15 do qual toda família nos céus e na terra toma o nome, 16 para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais robustecidos com poder pelo seu Espírito no homem interior; 17 que Cristo habite pela fé nos vossos corações, a fim de que, estando arraigados e fundados em amor, 18 possais compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, 19 e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios até a inteira plenitude de Deus”.

Se o Espírito habita em nosso interior para nos fortalecer, nunca precisamos ter medo de onde ele nos conduzirá, pois ele nunca nos levará a fazer algo contrário à palavra inspirada que ele nos deu. Esta é uma maneira de testar os espíritos que procuram te conduzir. Basta perguntar a si mesmo: "O que estou prestes a fazer está apoiado nas Escrituras escritas que o Espírito Santo me deu?". Devemos também considerar seriamente se o Espírito está nos motivando a fazer o que está escrito, ou é a carne que nos motiva? Conseguir um controle sobre nossos motivos é muito mais difícil do que lidar com as Escrituras.

Temos medo de que a presença do Espírito nos torne irracionais. O grande debate de algumas décadas atrás dentro da igreja era como o Espírito Santo operava. Eu estava na faculdade naqueles dias, e parecia que nosso maior medo era que aqueles que acreditavam que o Espírito habitasse neles se tornassem totalmente irracionais. No entanto, a presença do Espírito não encoraja o irracionalismo. Quando nos tornamos irracionais, podemos ter certeza de que não estamos sendo guiados pelo Espírito Santo. A presença do Espírito em nossas vidas é mais real do que algo melhor sentido do que dito.

1 Coríntios 14:13-17 13 Por isso, o que fala em língua, ore para que a possa interpretar. 14 Porque se eu orar em língua, o meu espírito ora, sim, mas o meu entendimento fica infrutífero. 15 Que fazer, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. 16 De outra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o amém sobre a tua ação de graças aquele que ocupa o lugar de indouto, visto que não sabe o que dizes? 17 Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado”.

Temos medo de que admitir a presença do Espírito encoraje a subjetividade. As divisões primárias do movimento de restauração foram sobre a subjetividade. Por subjetividade no estudo da Bíblia, quero dizer sujeitar as Escrituras à nossa própria interpretação particular. A pessoa que é guiada pelo Espírito pode entender o que é claramente escrito sem confiar em sua própria interpretação particular.

Há um modo seguro de dizer quando passamos do que está escrito. É quando somos elevados pelo orgulho a guerrear uns contra os outros.

1 Coríntios 4:6-7 6 Ora, irmãos, estas coisas eu as apliquei figuradamente a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, de modo que nenhum de vós se ensoberbeça a favor de um contra outro. 7 Pois, quem te diferença? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?”

A palavra de Deus pode ser torcida e usada de tal maneira que se torna meramente um documento escrito que mata e sufoca e produz obras da carne e não o fruto do Espírito. Esses escritos inspirados poderiam ser usados ​​de maneira contrária à vontade de Deus.

Quando procuramos usar a Palavra separada e independente da presença e poder do Espírito Santo, a Palavra torna-se apenas um código escrito.

Em 2 Timóteo 3 eles mantiveram a forma de piedade, mas negaram o poder dela. Eles professavam ser cristãos, professavam as formas do cristianismo, mas o dinamismo real, o poder real disso havia desaparecido. Eles estavam sem o poder real do Espírito para mudar suas vidas.

Temos medo de que a presença do Espírito nos sobrecarregue de maneira tão poderosa que não mais tenhamos controle sobre nossas vidas. Israel foi guiado pelo Espírito de Deus, mas em nenhum lugar no deserto foi forçado a seguir a Deus. O Espírito lidera, mas não arrasta pessoas. O Espírito Santo está sujeito ao controle daquele em quem ele habita.

1 Coríntios 14:29-33 29 E falem os profetas, dois ou três, e os outros julguem. 30 Mas se a outro, que estiver sentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. 31 Porque todos podereis profetizar, cada um por sua vez; para que todos aprendam e todos sejam consolados; 32 pois os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas; 33 porque Deus não é Deus de confusão, mas sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos”

Deus sujeitou o seu Espírito à minha vontade de seguir. Isso me deixa responsável pelo que faço, e posso ter certeza de que o Espírito não está presente para que eu faça algo contra a nossa vontade.
1 Tessalonicenses 5:19-22 19 Não extingais o Espírito; 20 não desprezeis as profecias, 21 mas ponde tudo à prova. Retende o que é bom; 22 Abstende-vos de toda espécie de mal”

Temos a liberdade de apagar o fogo do Espírito. Portanto, não precisamos temer perder o controle de nossas vidas, porque a liberdade de saciar o Espírito é prova suficiente de que não perderemos nosso livre arbítrio. De fato, devemos testar a direção de nossas vidas com as Escrituras, e devemos lembrar que o Espírito Santo nunca nos levará a fazer algo contrário à palavra de Deus.

Conclusão: Nós devemos testar a direção de nossas vidas. Estamos sendo conduzidos por nossos únicos desejos carnais quando são indignados por espíritos malignos, ou é o Espírito de Deus que dirige nossas vidas?

1 Timóteo 4:1-2 1 Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, 2 pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada”

1 João 4:1-3 1 Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo. 2 Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; 3 e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo”.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem