Liderar uma igreja a revitalização é uma tarefa desalentadora. É preciso muita oração, graça e força. As igrejas que precisam de revitalização muitas vezes foram levadas a um lugar de complacência. A mudança de que elas precisam acontece frequentemente por causa de um momento catártico.

O desespero é realmente o motivador. O pastor que conduz a igreja à renovação está prestando um grande serviço ao reino de Deus. Mas é útil entender porque as igrejas resistem à mudança. Eu quero olhar para algumas das coisas que levam à crise, entendendo que se os sinais forem reconhecidos cedo o suficiente, pode não chegar a medidas drásticas.

Cinco Coisas Que Impedem as Igrejas de Mudar

Primeiro, Autofoco.

Eu já disse muitas vezes que a igreja é a missão de Deus para o mundo. Então, muito tempo é gasto para garantir que a igreja seja o que deveria ser. Uma grande parte do Novo Testamento Paulo, enfatiza como igrejas e líderes devem operar interna e externamente. Não há nada de errado com a autoconsciência e o exame. Precisamos cuidar da família, certo?

Mas como somos humanos, temos a tendência de criar ambientes que se ajustem ao nosso conforto. Isso acontece com indivíduos, líderes e igrejas. Nós fazemos as coisas do jeito que gostamos. Eventualmente, quando fazemos isso por muito tempo, combinamos o que gostamos com o que Deus exige.

Em última análise, como encontramos no Antigo e no Novo Testamento, isso exclui Deus do processo. Ironicamente, podemos nem mesmo reconhecê-lo até que um dia estaremos prestes a fechar as portas. As igrejas que tiram seus olhos de Cristo e seus corações dos perdidos acabarão com nenhum dos dois.

Certamente a igreja é um lugar de santuário, adoração e cura. Mas Cristo não estabeleceu a igreja para seu próprio benefício. Então, quando vivemos para nos beneficiar, acabamos perdendo nosso propósito e naturalmente nosso lugar.

Em Segundo Lugar, a Disciplina de Deus.

Às vezes, as igrejas não crescem porque estão experimentando a disciplina de Deus. Eu realmente acredito nisso. Eu creio que Deus disciplina algumas igrejas porque há pecado não arrependido, porque os líderes não estão seguindo a Cristo, ou porque há profunda desunião.

Deus não vai fazer crescer uma igreja que prejudique as pessoas. Às vezes, ainda vemos igrejas rebeldes crescerem. Mas acho que finalmente vemos a disciplina de Deus. As escrituras nos dizem que Deus disciplina quem ele ama. A Bíblia também nos diz que aqueles que se tornam duros depois de muitas repreensões serão despedaçados.

Deus é paciente com as pessoas, mas não com o pecado. Uma igreja não arrependida perdeu sua salinidade e não tem utilidade para a obra de Deus. Há igrejas que estão fechadas hoje porque não responderam adequadamente ao chamado de Deus para se afastarem de sua rebelião.

Em Terceiro Lugar, Dependência Deslocada.

Às vezes, as igrejas começam a confiar em outras coisas além de Deus. Talvez uma igreja seja bem financiada por uma organização ou indivíduos. Eles começam a confiar nesse recurso mais do que confiar em Deus para fornecer o que ele achar adequado. Essa confiança mal direcionada pode acabar afetando as decisões que a igreja toma sobre o ministério e a política. Líderes e congregações podem operar com medo porque não querem perder a estabilidade financeira.

A igreja é a noiva de Cristo. Quando um cônjuge procura outras coisas que deveriam vir do outro, isso estraga o sistema. Muitas vezes, quando estamos bem cuidados no reino material, oramos menos. Nós sacrificamos menos. Nós perseguimos a Deus menos. A mensagem é facilmente diluída onde há menos dependência de Cristo. Deus quer uma igreja que esteja confiando radicalmente nele. Não deveríamos nos surpreender se Deus retiver sua bênção daqueles que a procuram em outro lugar.

Em Quarto Lugar, Distração da Missão.

A Igreja está aqui para pregar o evangelho e fazer discípulos. Algumas igrejas se distraem de seu primeiro amor, Jesus. Há muitas distrações boas por aí. Foi dito que o maior inimigo daquilo que é melhor é o que é bom.

As igrejas podem se distrair fazendo boas obras na comunidade e acabam não pregando o evangelho de Jesus Cristo. Outras igrejas se tornam tão focadas em pregar que elas não fazem discípulos que estão impactando sua comunidade. As igrejas que não pregam o evangelho e fazem discípulos não mudam como deveriam. Se estamos separados da videira, como vamos produzir frutos?

Finalmente, o Orgulho.

Infelizmente, muitas congregações não mudam por causa do orgulho. Isso é irônico, já que a única coisa em que podemos nos gabar é a obra de Cristo. Então, quando nos apegamos a fazer o ministério de maneiras que nos fazem felizes, em vez de nos humilharmos e fazermos as coisas como Cristo quer que sejam feitos, criamos um ídolo.

O orgulho é idolatria. O orgulho destruirá uma igreja mais rapidamente do que qualquer outra coisa.
O evangelho é em grande parte construído sobre a humildade de um Salvador que não se apegou às coisas a que tinha direito. Em vez disso, Jesus deixou de lado algumas coisas para nos alcançar. Ele não é apenas um exemplo - ele é o caminho. Então, quando nos apegamos a caminhos que não são dele, não podemos ter sucesso nele.

Mudar não é o objetivo. O objetivo é ser um representante saudável de Cristo em um mundo perdido. Mas atingir esse objetivo requer mudança. A mudança vem mais facilmente quando temos um foco em Cristo e um coração para os perdidos. Isso vem quando nos afastamos do pecado. Acontece quando confiamos totalmente em Deus.

Nós mudamos quando não estamos permanecendo alinhados com o chamado que Cristo nos deu; essa mudança é muito menos dolorosa quando nos humilhamos em prol da missão.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem